Descubra porque é que os grandes líderes mundiais praticam Mindfulness

899 600 Bruno Dolbeth
  • 2

A antiga prática da atenção plena, conhecida como Mindfulness, é cada vez mais procurada pelas empresas como um recurso para aumentar a produtividade e o Bem-Estar dos colaboradores.

As empresas estão hoje conscientes da fulcral importância do seu capital humano, e, inspiradas pela divulgação de investigações que comprovam os salutares efeitos da prática de Mindfulness, recorrem cada vez mais a programas de Mindfulness para abordar questões relacionadas com a saúde, o Bem-Estar e o desenvolvimento dos seus colaboradores em ambientes de trabalho cada vez mais exigentes.

Os grandes líderes mundiais praticam Mindfulness

Numa economia que se baseia cada vez mais no conhecimento, o valor económico das empresas depende cada vez mais do seu “capital humano”; isto é, das habilidades e da motivação dos seus colaboradores. No entanto, grande parte da força de trabalho sofre hoje de grande tensão e stress.

As questões relacionadas com a saúde mental são a principal causa dos pedidos de baixa médica no Reino Unido. Representam o pedido de 70 milhões de dias de atestado médico, mais de metade dos 130 milhões de dias de baixa médica solicitados por ano no país. A depressão, por exemplo, afeta cerca de um em cada cinco britânicos ao longo da vida.

Apesar de ter disponibilizado uma grande quantidade de informação e ter impulsionado a inovação, a evolução tecnológica acelerou os ritmos de trabalho e os estilos de vida, ao mesmo tempo que rodeou os colaboradores de uma panóplia de estímulos.

Em média, um colaborador empresarial consegue concentrar-se na realização de uma tarefa durante apenas 11 min sem ser interrompido. Essas contínuas distrações estão associadas a uma redução de cerca de 20% do seu desempenho no trabalho.

Estimulada pelo conhecimento das conclusões retiradas em pesquisas científicas empíricas – e sob a liderança de Chade-Meng Tan – a Google foi pioneira na introdução de programas que tinham por objetivo aumentar a inteligência emocional dos colaboradores através de práticas de Mindfulness em ambiente empresarial.

A Yahoo e a Dot-Com não demoraram muito tempo a seguir-lhe os passos e depressa incorporaram práticas de Mindfulness Training no quotidiano dos seus escritórios. E, a estas seguiram-se tantas outras empresas como a Apple, Procter & Gamble, Capital One, Nuffield Health, British Telecom, Deutsche Bank, Astra Zeneca, General Mills Aetna, ou até mesmo, o Parlamento do Reino Unido. 

Os estudos empíricos têm-se dedicado a calcular o Return On Investment (ROI) em Mindfulness. E, segundo um dos estudos mais recentes, operado em ambiente controlado, os investigadores observaram um aumento de 20% na produtividade dos colaboradores que praticaram Mindfulness. Sendo que os investigadores chegaram a estimar uma redução anual do investimento de cerca de $ 22.000 por colaborador, existindo por base de referência de uma average wage de $ 100.00.

Ou seja, estas empresas esperam que o seu investimento em Mindfulness beneficie tanto a empresa quanto o colaborador. Têm consciência de que a prática de Mindfulness pode impulsionar o seu sucesso devido ao facto de melhorar a performance dos colaboradores, o trabalho em equipa e as relações com os clientes.

E na verdade, a prática de Mindfulness nas organizações tem até agora superado todas as expectativas. Após a realização de um programa de Mindfulness a General Mills, citada pelo August Financial Times, por exemplo, considerou que os primeiros resultados que obteve com a prática de Mindfulness foram, pelas suas palavras, impressionantes:

 Depois de realizarmos um programa de Mindfulness de sete semanas, 83% dos participantes afirmaram utilizar algum do seu tempo diário para otimizar a sua produtividade pessoal – por comparação à percentagem de apenas 23% existente antes da realização do curso.

Ainda, depois da realização da formação, 82% dos participantes revelaram ter passado a conseguir eliminar tarefas pouco produtivas, em contraste com os 32% anteriores.

Já 80% dos altos executivos que participaram do curso de Mindfulness, relataram ter aumentado a sua capacidade de tomar melhores decisões, e, 89% deles afirmaram ter-se tornado melhores ouvintes.”

Mas, o que é Mindfulness?

Mindfulness significa essencialmente “moment-to-moment awareness”, traduzindo, consciência momento-a-momento. Apesar de esta prática ter a sua origem na tradição budista, não é necessário ser budista para usufruir dos seus benefícios!

Mindfulness inclui a prática de meditação (insight meditation), é verdade! Este exercício estimula o autocontrolo da nossa atenção e respiração. Mas o conceito de Mindfulness abarca um amplo espectro de atividades mais informais e mais formais, como por exemplo, Mindfulness-based Stress Reduction (MBSR). 

A Meditação Mindfulness ensina-nos a estar atentos aos “lugares” para os quais a nossa mente vagueia (as nossas angústias e preocupações, por exemplo) e entender aquilo que sentimos para em seguida, voltarmos a concentrar a nossa atenção na nossa respiração – que representa o momento presente.

A meditação não trata de inibir a natural tendência da nossa mente para divagar (ela também é saudável e necessária), mas sim, de aprender a autocontrolar a nossa mente. Trata-se de utilizar a conexão com o nosso corpo para treinar a nossa capacidade de estar focados no presente que vivemos.

O MBSR, por exemplo, difere da prática de Meditação Mindfulness básica porque, além da prática da meditação, inclui a realização de posturas de yoga, de sessões que implicam interações socias e o exercício de Mindfulness durante situações de stress. Mas existentes também técnicas bastante simples que podemos colocar facilmente em prática todos os dias!

Jon Kabat-Zinn implementava programas de Mindfulness-based Stress Reduction (MBSR) para aliviar os seus pacientes que sofriam de dor crónica já na década de 1970.

Além da meditação e da MBSR, o Mindfulness pode ser facilmente incorporado no nosso quotidiano e utilizada no nosso local de trabalho por meio de exercícios de atenção plena tão simples como passar 5 min do nosso dia sem fazer nada, ou, entrar em contacto com os nossos sentidos e dar atenção aos sons de fundo que nos rodeiam ou à nossa temperatura corporal.

É bastante descomplicado! Simplesmente, segundo a filosofia Mindfulness, quando nós conseguimos atingir um grau de consciência plena, tornamo-nos profundamente conscientes de nós próprios e daquilo que nos rodeia.

Isto é, ao tornarmo-nos verdadeiramente consciente de nós mesmos, tornamo-nos conscientes dos nossos próprios pensamentos e sentimentos e, graças a isso, ganhamos a capacidade de não reagir aos mesmos em “modo piloto-automático”.

Por sua vez, ao tornarmo-nos verdadeiramente conscientes daquilo que nos rodeia ganhamos a capacidade de deixar de rotular os acontecimentos, circunstâncias e pessoas que nos rodeiam; pois ganhámos a capacidade de nos livrar da nossa tendência natural para reagir aos mesmos de forma impulsiva e imponderada.

Estudos piloto atestaram que após terem começado a praticar Mindfulness equipas de apoio a pessoas com deficiência passaram a implementar intervenções menos restritivas junto dos seus pacientes, e que, equipas de professores passaram a conseguir gerir melhor o ambiente e os seus alunos dentro das salas de aula.

Na Workwell fomos pioneiros em Portugal na implementação de programas de Mindfulness nas empresas.

Descubra mais em: https://www.workwell.pt/programas/ 

AUTHOR

Bruno Dolbeth

All stories by: Bruno Dolbeth

Olá, tudo bem com você? Entre em contato comigo via whatsapp aqui.